• Ivan Costa

O erudito encontra o popular



O compositor e instrumentista Paulo Francisco Paes está vivendo um dos momentos mais produtivos de sua carreira. O pianista, que compõe desde 2013, acaba se lançar o EP “Estar ao Redor”, que nasceu a partir de seu recente encontro com o parceiro musical Gustavo Villela. Concebido em plena pandemia, o trabalho traz as composições da dupla interpretadas pelas cantoras Luisa Lacerda e Ilessi e deve ser levado para os palcos assim que a vida voltar realmente ao normal. Mas, enquanto esse dia não chega, você já pode ouvi-lo em todas as plataformas digitais.

® A relação com o piano e tudo que envolve o seu estudo demanda, principalmente, paixão. Fala um pouco do seu caso de amor com o instrumento. Acho que a dedicação ao piano envolve de fato uma paixão muito grande, até por ser algo que você deve começar novo e isso resulta em abandonar muitas atividades comuns na juventude. Para tocar piano bem você necessariamente precisa passar horas solitário, estudando todos os dias. ® Num mundo onde beats e bytes predominam, como você enxerga o papel e os desafios de um pianista? O mundo de hoje aponta uma dificuldade nesse caminho, pois as distrações são muito maiores e o tempo, a dedicação e o amor pela música estão mais perdidos, dispersos. Mas o interessante é que nenhuma tecnologia vai conseguir substituir o esforço para tocar bem um instrumento, por isso os instrumentistas serão sempre imprescindíveis para a permanência da música de qualidade

® O seu recém-lançado EP trafega com desenvoltura e sensibilidade por referências muito brasileiras. Qual a importância da parceria com o Gustavo Vilela letrando essas músicas e como é o processo de composição? O mais curioso sobre o meu trabalho como cancionista é que muitas melodias dessas canções foram compostas em 2011, 2012 e 2013, mas não tinham letra. Essas melodias ficaram sem letra até 2016 , quando conheci o Gustavo Vilela através de um amigo, e ele escreveu uma primeira letra que eu adorei. Foi aí o início da parceria, que se solidificou. Na sequência vieram outras várias letras dele, e eu acabei me entusiasmando a escrever algumas letras também. No EP “Estar ao Redor”, fiz a letra de duas das oito canções: Dias Assim” e “Fora do Tempo”. O trabalho sempre foi assim: eu mando a melodia pra ele e ele escreve a letra. Com exceção da faixa 5, “Catarse”, que ele tinha escrito os versos e eu musiquei. ® Qual o conceito artístico que você buscou ao escolher vozes femininas para interpretar as canções? A escolha pelas vozes femininas não obedeceu a nenhum conceito especial, eu me encantei com as vozes da Luísa e da Ilessi e achei que elas cantariam muito bem as canções! Na verdade foi uma felicidade muito grande pra mim e pro Gustavo ter essas cantoras maravilhosas no nosso EP de estreia. ® Com o fim da pandemia e a cena musical ensaiando uma volta definitiva aos palcos, como você planeja apresentar o trabalho para o público? A ideia é de fazer shows quando tudo voltar ao normal. Ainda não penso em fazer clip, talvez futuramente. A divulgação agora é muito pelas redes sociais e outros veículos de comunicação.


® Ivan Costa

Photos . Divulgação